28 fevereiro 2009

Saindo um pouco da rotina

Sabe aqueles dias que mal conseguimos nos suportar? Estresse, cansaço e pensamentos sobre o futuro. Tudo indicava que o dia seria péssimo. A cabeça explodindo e as costas doendo.

Na quinta-feira, quando cheguei a minha casa, minha mãe disse: “Não vai estudar hoje não. Fica aqui e descansa”.

E não fui.

Desde criança aprendi que devemos obediência aos pais. Já que minha mãe falou pra eu não ir, não podia desprezar essa ordem, né?! rs.

Confesso que não gosto de faltar às aulas. Parece que surge uma lacuna que precisa ser preenchida. Fico com a impressão de que eu perdi algo importante, algo que faria a diferença, entende? E certamente perdi, pois considero todas as aulas importantes.

Mas, enfim...
Aproveitei para jantar com a minha família, já que a correria do dia-a-dia geralmente dificulta o nosso encontro. É sempre assim: quando saio para trabalhar (5h), minha mãe está dormindo; quando chego para almoçar (12h), ela já saiu para trabalhar; quando volto em casa para me arrumar para a faculdade (17h), ela ainda está trabalhando; e quando chego de Araçatuba (0h30), ela já está dormindo.

Assisti TV, acessei a internet e logo fui dormir. É sempre bom arrumar um tempo pra gente. Eu, realmente, precisava de descanso - Mesmo sabendo que essa semana de carnaval foi bem mais tranquila do que muitas outras que já passei.

Na sexta-feira, eu precisava entregar um livro na biblioteca da faculdade. Na verdade, eu precisava mesmo era renovar o empréstimo, porque não acabei de ler para fazer um fichamento (disciplina de Metodologia). O nome do livro é “Introdução ao Projeto de Pesquisa Científica”. Em outra oportunidade escreverei sobre ele.

Pensei em não ir à faculdade de novo. Já que tenho direito a 25% de falta, e quase não falto, achei que não teria problemas. Acredito que aquela ocasião era oportuna, pois poucas pessoas iriam (e seria difícil a cobrança de alguma atividade avaliativa).

Mas, a crise financeira está tão complicada que R$ 3 de multa na biblioteca já faria a diferença no meu bolso, rs.

Fui para Araçatuba e renovei o livro. Confesso que a minha intenção era sair com amigos e fazer algo diferente. Eu não queria assistir as aulas.

(Aliás, peço desculpas às professoras Melissa e Ayne. Prometo que não farei mais isso!)

Eu e o Rafa Lopes andávamos pelos corredores da facul quando encontramos o meu amigo Ricardo Augusto. O Ricardo estava no Unitoledo resolvendo alguns assuntos relacionados à pós-graduação e nos chamou para comer uma pizza. Não pensamos muito, e logo aceitamos.

Fomos à Pizzaria Donna Oliva. Além de saborear dois excelentes sabores de pizzas, conversamos bastante. Com certeza, foi uma noite muito agradável ao lado de grandes amigos.

5 comentários:

Anônimo disse...

A próxima vez quero ser convidada também hehehehehehehe

Fabrícia Lopes disse...

Eu amo comer pizza no Dona Oliva!

blogdozemarcos.com disse...

::: Nossa, que trio sensacional!

Diuân Feltrin disse...

Sempre bom proporcionar um tempinho para nos encontrarmos com nós mesmo! O ser humano necessita disso!!! É primordial, tal como os estudos, ou até mais!!!
Depois deste tempinho, parece que as energias se quadriplicam!!!
Bjos!!!
Ah, faz tempo que vc não comenta no meu blog!!!

Tamyris Araujo disse...

Oi! Nossa...chamar os outros é bom mesmo hen!!! Pizza...hunn, rs! Bjus