29 setembro 2009

Criatividade gera diversão e renda

Aliar a habilidade a algo que despertasse o interesse e curiosidade dos internautas. Foi com essa visão que o araçatubense Igor de Sousa Pucci, 25, destacou-se no mundo virtual. Autor do blog “Pérolas do Orkut”, o jovem mantém em média 30 mil acessos diários. A principal característica da página, criada há 2 anos, é retratar fatos bizarros que circulam na rede.

Com experiência em desenvolvimento de sites, Pucci teve a ideia de inovar o cenário virtual por meio da criação de um espaço interativo e dinâmico. Em vinte dias, o blog já havia recebido 10 mil acessos. Atualmente, o jovem é reconhecido como um dos principais blogueiros do país.

Embora a página tenha sido criada sem interesses financeiros, em pouco tempo a criatividade de Igor gerou bons frutos. Durante entrevista coletiva com os alunos do 6º Semestre de Jornalismo do UniToledo, o administrador revelou que até dezembro do ano passado ele recebia aproximadamente R$ 8 mil mensais, que eram repassados por meio de anunciantes. Em virtude da crise o valor foi reduzido em cerca de 60%, mas continua suprindo suas necessidades pessoais.

“Trabalho sozinho. Eu mesmo posto, leio e aceito os comentários. Gosto de me dedicar exclusivamente a isso. É o que gosto de fazer”, menciona. "Muitos internautas me ajudam enviando fotos por e-mail, mas também procuro em comunidades".

As atualizações ocorrem constantemente. Segundo Pucci, são postadas quatro fotos por dia e cada uma delas recebe cerca de 70 comentários. Dentre os visitantes, destacam-se internautas residentes no Japão, Portugal, Estados Unidos e de todo o Brasil, principalmente da região sudeste.

“Já soube de famosos que visitaram o Pérolas do Orkut, como Marcos Mion e Bruna Surfistinha”, ressalta.

Formado em Ciências da Computação, especialista em Economia e pós-graduando em Propaganda e Marketing, Pucci se identificou com a atividade e criou mais dois sites: um destinado à publicação de imagens e o outro com frases e pensamentos. Para conhecer os trabalhos que são desenvolvidos por Igor Pucci, acessem: www.perolasdoorkut.com.br , www.webrecados.com e www.webfrases.com.

(*) Texto produzido como atividade avaliativa da disciplina de Jornalismo Online e Novas Tecnologias, ministrada por José Marcos Taveira.

08 setembro 2009

Controle Absoluto: pânico e reflexão

Os avanços tecnológicos são evidentes. A cada dia, a sociedade se depara com uma nova invenção. Na busca pela comodidade, poder ou até mesmo “caprichos” supérfluos, são lançados no mercado várias inovações. Mas, até que ponto estas novidades são favoráveis ao desenvolvimento das pessoas? O filme “Controle Absoluto”, lançado em 2008, dirigido por D.J Caruso, possibilita uma importante reflexão acerca do assunto.

Suspense, adrenalina e ação. Uma mistura exata capaz de prender o telespectador em frente à “telinha” e provocar fortes emoções. O que aconteceria com o mundo se todas as invenções humanas se voltassem diretamente contra seus próprios criadores? Com uma visão extremamente impactante, o filme revela a possibilidade das pessoas serem ameaçadas pela própria tecnologia – resultado da perda de privacidade.

Os personagens Jerry Shaw (Shia Labeouf) e Rachel Holloman (Michelle Monaghan) vivem intensas provas de fogo durante a trama. Embora inocentes e desconhecidos, os dois são forçados a se unir em um plano terrorista. Caso contrário, Jerry perderia a vida, e Rachel, o filho. Celulares, orelhões e painéis eletrônicos são utilizados para comunicar as ordens a serem obedecidas. A agência de inteligência criada pelo governo seria responsável por todas as confusões, entre elas: o assassinato do presidente dos Estados Unidos.

O enredo destaca a utilização da tecnologia e os seus avanços. O controle absoluto sobre a vida dos protagonistas causa pânico. Percebe-se que o poder tecnológico é estabelecido em um total monitoramento.

È com esta identidade que o filme “Controle Absoluto” atrai milhares admiradores. O que hoje é criado para satisfazer uma necessidade pessoal, ou somente produzir capital, pode se tornar, em pouco tempo, uma grande ameaça para toda a sociedade.

(*) Texto produzido como atividade avaliativa da disciplina de Jornalismo Online e Novas Tecnologias, ministrada pelo professor José Marcos Taveira

02 setembro 2009

Vídeos ajudam universitária vencer a timidez

Com o surgimento da web 2.0, a transmissão de conteúdo torna-se, a cada dia, mais acelerada. Com poucos cliques, já é possível compartilhar informações com todo o mundo. Há 2 anos, o site do “Youtube” revelou a araçatubense Lúcia Pastorello, estudante do 8º Semestre de Direito do Unitoledo.

A possibilidade de publicar vídeos incentivou a jovem, de 21 anos, a mostrar ao mundo o que ela realmente é. Sem intenção de lucrar, Lúcia usou a criatividade na produção de materiais audiovisuais e conquistou fãs no Brasil e exterior.

Em entrevista aos alunos do 6º Semestre de Jornalismo, na última terça-feira, dia 1, no laboratório 6 do Unitoledo, Lúcia Pastorello mencionou que suas criações são postadas semanalmente. “Na maioria das vezes, as gravações acontecem quando estou triste, entediada.Gosto de me inspirar na cultura celta, filmes e ideias de amigos”, explica.

Foram publicados mais de 151 vídeos, todos com características curiosas. A timidez, que antes significava uma barreira em sua vida, passou a ser uma ponte para o sucesso. Do anonimato, Lúcia se tornou uma grande artista da web 2.0. “Posto o que eu sou longe das pessoas”, menciona Lúcia.

Nos vídeos, a universitária se destaca com imitações, danças e utilização de instrumentos musicais. O estilo peculiar de suas criações surpreende os amigos, já que, no dia-a-dia, Lúcia demonstra-se categoricamente introvertida. Dentre as produções, a mais popular é a imitação que a jovem faz do personagem Pikatchu, do desenho Pokémon. O vídeo já recebeu 213.296 visitas.

Lúcia menciona que mais de 490 pessoas estão cadastradas em sua conta e, muitas delas, residem nos Estados Unidos. “Os internautas acompanham, com frequência, os materiais que são produzidos. Já fiz vários amigos na internet, aliás, tenho mais amigos virtuais do que ao meu lado”, revela.

Para ela, as gravações servem como terapia nos momentos difíceis. Além de atender a uma necessidade pessoal, a acadêmica também possibilita aos internautas conhecerem um novo modelo de vida. “Gosto de passar uma mensagem de ânimo às pessoas, como: aproveite o seu dia, faça coisas que você ainda não fez, não tenha vergonha”.

Para divulgar os trabalhos, a artista utiliza o Twitter. “É uma ótima oportunidade de informar meus amigos que um novo vídeo já está disponível”, compartilha.

Vencendo a timidez, Lúcia Pastorello aceitou mais um desafio. Durante o encontro com os estudantes de jornalismo, a jovem interpretou as canções It’s Five O’Clock (Aphrodite’s Child), Mr Postman (The Carpenters) e All on star (Cássia Eller), acompanhada de um violão.

Para ter acesso aos vídeos de Lúcia Pastorello, basta digitar: http://www.youtube.com/lucirello.

(*) Texto produzido para a disciplina de Jornalismo Online e Novas Tecnologias, ministrada pelo professor José Marcos Taveira.


video