18 novembro 2008

Auriflama lidera no setor de confecções

ECONOMIA - A produção auriflamense, em plena expansão, é referência no mercado

Expressiva geração de empregos, um parque industrial vitalizado e um nome cada vez mais reconhecido. Assim pode-se definir Auriflama: uma cidade em plena expansão e em constante desenvolvimento.

Conhecida atualmente como “a capital do lingerie”, a cidade demonstra um alto poder econômico. A fama é resultado, principalmente, do grande trabalho idealizado pelas fábricas de confecções instaladas no município.

Segundo o IBGE, o território auriflamense abrange um espaço de 433 km2 e abriga um total de 13.760 habitantes. Embora ainda pequena, se comparada aos grandes centros, Auriflama destaca-se com um grande e produtivo pólo industrial da região noroeste do Estado.

As atividades no ramo foram iniciadas em 1983 com a vinda das Confecções Vancil, empresa que pertencia ao casal Vanderlei Pereira de Castilho e Maria Aparecida Federice. Depois disso, com o incentivo da Prefeitura Municipal, várias outras indústrias e facções foram instaladas.

Em 1985, mais uma fábrica começava a surgir: a Phael Confecções, empreendida pelo empresário José Jacinto Alves Filho (Prego). No ano de 1994, outras duas fábricas iniciavam uma valorosa produção: a Affer Confecções, com a direção de Antônio Jacinto Alves, e a Intimus Fashion, com o comando de João Dias Barbosa Neto.

O início foi difícil, e o retorno financeiro, tímido. Eram poucos funcionários e, conseqüentemente, poucas peças por dia. Os anos se passaram, as lingeries se aperfeiçoaram e logo o trabalho ganhava força e destaque. A iniciativa dos empresários em colaborar com o desenvolvimento da cidade gerou bons resultados.

Hoje, após vários anos de dedicação, pode-se constatar um crescimento significativo deste setor. O município é reconhecido em todo o mundo pela grande produção mensal de lingeries, que corresponde a quase 2 milhões de peças, que são desenvolvidas pela Affer, Intimus, Phael e inúmeras outras fábricas de médio e pequeno porte, além das várias facções. A quantidade de produtos exportados varia entre 10% e 15%, que são destinados a Espanha, Estados Unidos, Itália, Chile, Peru, Colômbia, Portugal, Israel, Japão e Venezuela.

No momento em que Auriflama completa 71 anos, é importante destacar a posição privilegiada que ela se encontra. Graças à iniciativa dos empresários em investir nas fábricas de confecções e também à qualidade dos trabalhos realizados por toda equipe, a população tem muito que comemorar.

“Fico feliz em fazer parte da história do município”, menciona João Barbosa, proprietário da Intimus Fashion. “A fidelidade dos clientes, colaboradores e fornecedores é resultado da maneira ética e profissional com que atuamos no mercado. Parabéns, auriflamenses!”.

A progressiva produção industrial realizada no município tem contribuído, e muito, com o crescimento da cidade. Atualmente, cerca de 1.300 pessoas trabalham nas empresas e outras muitas exercem atividades nas facções. As lingeries e peças de moda praia produzidas em Auriflama compõem as prateleiras das mais importantes lojas e ilustram os catálogos das mais famosas grifes.

“As confecções deram vida para a cidade, mas o mérito de todo esse crescimento é da população. É ela que luta diariamente por uma cidade melhor, demonstrando empenho e comprometimento”, menciona Antonio Jacinto Alves, proprietário da Affer Confecções. “Parabéns a todos os auriflamenses pelos 71 anos de conquistas”.

Outro fator de destaque é a grande produção têxtil na cidade por intermédio das 82 micros, pequenas, médias e grandes indústrias de confecções. As mãos das costureiras e costureiros auriflamenses produzem, além das lingeries, uma variedade em vestuários, como: blusas, camisetas, saias, calças e vestidos.

O prestígio internacional também se evidencia nesta categoria. As roupas auriflamenses são encaminhadas a outros países, além de todo o território brasileiro. Isso confirma a alta capacidade e credibilidade conquistadas pelo comércio local.

O proprietário da Cor Bella Confecções, Allan Silva Coelho, acredita que o apoio a esse tipo de empreendimento é fundamental, tendo em vista o grande potencial empregatício que Auriflama conquistou nesses anos de intensa industrialização. “Vejo a atuação das fábricas como um fator imprescindível para o progresso e crescimento da cidade. Elas se tornaram a fonte primária para sustento da família, assim como complemento de renda. Mulheres e homens estão inseridos no mercado”, destaca.

O empresário parabeniza a todos pelos 71 anos de Auriflama ressaltando a importância do trabalho coletivo. “Toda atividade deve ser reconhecida. Para que Auriflama continue no ritmo progressista é necessário que haja essa interação, pois uma empresa depende da outra. Pequenas, médias e grandes empresas merecem atenção”, conclui Allan Coelho.

O grande potencial da cidade não é mais novidade para ninguém. Sabe-se que 40% do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) são gerados pelas fábricas locais. Indiscutivelmente, Auriflama é referência no cenário nacional e internacional.

(*) Apuração e redação de Angélica Neri (Texto publicado no Jornal Tribuna Regional, edição especial do Aniversário de Auriflama)

5 comentários:

blogdozemarcos.com disse...

Olha só, Auriflama tá podendo, hein! Texto muito bacana, viu Angélica! Parabéns.

Diuân Feltrin disse...

Belíssimo texto Amiga!!!
É evidende que vc teve muita dor de cabeça e trabalho para idealizá-lo, mas o resultado final compensou tudo!!
Essa é a grande façanha de nossa profisão: ver que todo o suor derramado resultou em um grande produto!!!
Parabéns futura Jornalista!!!
Bjos

Patty Machado disse...

Oi Angélica, eu não te conheço pessoalmente, mas já cruzei com vc pela internet, nos orkuts da vida. Um grande beijo pra vc e passe sempre no meu blog, que agora que descobri o seu, vou estar sempre por aqui. Patty

Andre Alves da Silva disse...

Parece perfeito,mais nao e assim,pois meu pai,SR ANTAO ALVES DA SILVA,trabalhou por mais de 10(dez),anos para o SR WANDERLEY PEREIRA CASTILHO e sua esposa, MARIA AP FEDERICE,proprietarios da CONFECCOES VANCIL,em Sao Paulo,e Faleceu em 2002,sem que o SR WANDERLEY ou D MARIA AP FEDERICE,o pagacem um TOSTAO,qualquer,porisso,postar no cite,tudo de bom da familia e facil.
Epero que o autor do blog,autorize esse comentario,pois e muito importante para a memoria do meu PAI.
OBS.Conf Vancil LTDA, Rua dos Italianos,55-59e91.
ATT, ANDRE ALVES (filho do sr Antao.

Adriano Francisco disse...

confecção Vancil foi meu primeiro emprego com 13anos de idade,auxiliar de corte com o meu desempenho e a vontade de subir de cargo no ano seguinte passei a exercer a função de cortador isso durou apenas 5 anos 1991/1995 a empresa não quis aumentar o meu salário então pedi a conta não recebi nada de direito mas dou Graças a Deus por ter aprendido esta profissão hoje tenho casa tenho carro sustento a minha família através de ser cortador free lance em Americana sp é uma pena que a vancil deu no que deu muitos perderam muitos ganharam mas enfim a vida é assim abraços para todos da região de auriflama saudades.