06 junho 2008

Até quando???

Auriflama tem passado por momentos de pânico nos últimos dias. Assalto à mão armada, roubos e furtos, tem sido destaque nas páginas do jornal que eu trabalho, o Tribuna Regional, em duas edições consecutivas.

Para uma cidade como a nossa, até então conhecida como um município tranqüilo, sem violência e que predomina o companheirismo entre os moradores, esse aumento do índice de criminalidade tem causado muita preocupação, indignação e medo.

Entramos em junho com más recordações do mês que passou. Acompanhamos na última semana de maio, uma lamentável seqüência de crimes em Auriflama. Conforme registramos, foram várias tentativas de furtos, sendo sete consumados; um roubo de um veículo, que graças ao trabalho da Polícia já foi recuperado; e ainda, na edição desta semana (sábado, 07/06), destacamos um assalto a um estabelecimento comercial, que deixou ferido um empresário.

Esse momento crítico que passamos vem reforçar a idéia de que nem todo desenvolvimento traz somente fatores positivos. O crescimento da cidade, através de seu reconhecimento industrial e também educacional, tem atraído as atenções de muitas pessoas. O destaque comercial e cultural tem sido notado facilmente, porém a abertura para a criminalidade também pode ser vista diante de tais fatos.

Auriflama está crescendo, sua economia se desenvolvendo e sua população aprendendo, dia após dia. Será que todos percebem a posição que nos encontramos atualmente? É lamentável, mas conforme nos desenvolvemos, sentimos, pois as infrações apontam. Mas, até quando?

Em cumprimento do que o jornal assumiu há 3 anos e sete meses, ou seja, registrar todos os acontecimentos, e também em defesa da Responsabilidade Social que ele exerce, o nosso papel, enquanto profissionais, não é somente noticiar esses inconvenientes, mas queremos ir além disso. Nosso desejo é que possamos destacar o trabalho realizado pela Polícia de uma maneira satisfatória (Sairíamos da objetividade? Ah! Ela não existe mesmo! E outra coisa, entre ladrão e população, devemos estar ao lado de quem, hein?).

Que os culpados sejam condenados e, para o bem dos auriflamenses, a justiça seja feita!

3 comentários:

Anna Carolina disse...

Oi querida! O nosso papel é esse mesmo. E como estudante (embora já uma profissional qualificada) você já está cumprindo o seu papel. E concordo com você quando diz que o papel é "Nosso desejo é que possamos destacar o trabalho realizado pela Polícia de uma maneira satisfatória", às vezes um ato falho da mídia é não destacar esse lado. Só relatar o acontecido e não os resultados.

Márcio Bracioli disse...

De fato, nenhum crescimento (se não for bem planejado) é malefico em tais pontos. Muitas cidades do interior estão sofrendo dos mesmo cancêr que afeta a vida urbana de hoje.
A diferença é que em alguns lugares temos que mostre isso, enquanto outros não temos.
Nesse ponto me invejo de Auriflama.


Grande beijo Angel, que Deus te abençoe!

Serginho disse...

É, Auriflama deixou de ser um município pequeno faz tempo. Me lembro que quando morava aí tinha o costume de dormir com a janela aberta, sentava na frente de casa e ficava conversando com os amigos até depois da meia noite.
As coisas estão mudando. Torço para que este processo termine para uma solução, e que estas ocorrências não sejam regras futuras, pois já planejei para a minha velhice comprar um sítio em Auriflama e passar meus anos finais de vida na cidade em que nasci.
Seu blog está muito bacana viu moça, linkei no meu.
Abraços, parabéns!!!